+55 (31) 9 9955 -3132 pessoa@carlospessoa.com.br

Qual é o papel de uma assistente no consultório odontológico

É possível que você possa “virar o nariz” para a minha sugestão de que deveria trabalhar com o apoio de uma secretária qualificada.

Mas o fato é que, quando for possível (vou repetir, quando for possível), contrate uma assistente (chame-a como preferir, secretária, assistente mesmo, representante) para seu consultório.

Você pode até estar pensando que é uma heresia ou contrassenso da minha parte falar sobre a necessidade de “secretárias” no momento que o mundo digital está “pivotando” as organizações, a tecnologia está substituindo pessoas e acabando com os empregos. Imagine só…

Porém, como especialista em negociação, estratégia e vendas, eu tenho fortes motivos para sugerir essa proposta. E as razões são simples.

A contratação de secretária qualificada oferece desvantagens? Sem dúvida: despesas com salários, leis trabalhistas, custo insuportável de tributos, riscos, …

Mas também apresenta vantagens: por exemplo, a redução do imposto de renda a pagar e o reforço do “status” do profissional (um dentista que possui título de pós-doutorado, mas é ele mesmo quem atende telefone, agenda a consulta e discute o orçamento pessoalmente com os clientes, poderá “arranhar” sua imagem de notoriedade, competência e sucesso profissional).

Mas essas não são as maiores vantagens de se ter uma assistente.

O papel de uma secretária (ou assistente) não é somente o de agendar as consultas e ficar sentadinha na sala de espera com cara de baronesa entediada, lixando unhas, vendo celular, operando o computador ou conversando abobrinha com os clientes.

O papel dela também pode até ser o de atender os telefonemas e agendar as consultas, muito embora já existam “robôs” que farão isso brevemente com maestria. Veja o vídeo de apresentação do Google Assistente:

Além de auxiliar o dentista durante os procedimentos odontológicos, o verdadeiro papel de uma assistente ou secretária é representado por outras ações muito mais importantes e estratégicas.

  1. Poupar tempo profissional do dentista

O dentista não pode desperdiçar seu precioso tempo profissional para se ocupar de atividades operacionais administrativas.

Gerenciando a parte administrativa do consultório (documentos, relatórios, relação com fornecedores, compras, pagamentos, limpeza e higiene, …) a secretária vai liberar tempo para que o dentista, além de atender aos clientes, possa estudar, escrever artigos, fazer contatos, vender seu “peixe’, …

No futuro muito próximo, os robôs, a inteligência artificial e os aplicativos vão substituir os seres humanos na realização dessas tarefas repetitivas e tornar obsoleta a necessidade de uma secretária. Mas, por enquanto, esses serviços têm que desempenhados por seres humanos.

  1. “Blindagem”

Este, sim, é o mais importante de todos os papéis da assistente: proteger o dentista das tarefas desgastantes com relação aos clientes como: “vender o valor” dos serviços e do próprio dentista no momento de apresentar os preços (orçamento), solucionar problemas críticos de inadimplência, acolher e atenuar as reclamações, …

Nesse caso, a assistente passa a ser a protagonista da intermediação do dentista com os clientes.

Entretanto, alguém pode pensar: “Mas eu não posso permitir que minha secretária tenha acesso aos meus rendimentos! ”. Pura tolice…

Mesmo não tendo acesso aos orçamentos, ela saberá de qualquer forma (até através dos próprios clientes) qual é “faturamento” do consultório.

Mas, vamos combinar desde já que, para desenvolver essas tarefas, o dentista não pode se contentar em ter uma assistente com baixo nível de desempenho.

Por isso, não será possível contratar uma profissional com a pretensão de pagar salários reduzidos (um salário mínimo, por exemplo).

Para esse importante papel, deverá ser contratada uma pessoa com qualificação adequada e com salário compatível.

Foi por essa razão que eu, no início desse texto, afirmei “quando for possível”.

Pense nisso!

Pin It on Pinterest

Share This