+55 (31) 9 9955 -3132 pessoa@carlospessoa.com.br

Excesso de confiança

Há alguns anos, eu e alguns amigos frequentemente pescávamos no rio São Francisco a partir de Pirapora, a cidade mineira onde se inicia a navegação fluvial.

Nessa cidade morava um rapaz que era nosso guia e nos conduzia para onde se encontravam os melhores pontos de pesca (“pesqueiros”) no rio.

Certa vez, lembro que eu e meus amigos deixamos o hotel onde estávamos hospedados e passamos na casa desse rapaz para levá-lo conosco na pescaria.

Ele morava com a avó, uma senhora bem idosa e muito sábia.

Lembro também que todos nós (eu e meus amigos) usávamos coletes salva-vidas e ele não estava de colete. Quando a avó dele nos viu, perguntou a ele:

– “Meu filho, onde está seu colete?”

E, ele respondeu:

– “Não é preciso, ‘mãinha’; eu nado e muito bem!”

Ele, na verdade, tinha sido criado às margens do rio São Francisco e realmente nadava (assim como pescava) muito bem. Mas, o que a avó desse rapaz disse para ele está gravado até hoje na minha mente:

– “Pois é exatamente em você que o rio está de olho, porque quem não sabe nadar já pertence ao rio; ele quer agora os que sabem nadar porque são os que mais abusam!”

Ou seja, quem “abusa”, quem negligencia os procedimentos é exatamente quem se sente com excesso de confiança.

Nada é mais perverso que o excesso de confiança porque o otimismo natural do ser humano e sua inclinação para confiar demais nas próprias habilidades são um obstáculo na hora de calcular as probabilidades de sucesso pois tendem, invariavelmente, a subestimar os perigos.

Uma das mais poderosas razões para as pessoas serem excessivamente otimistas é a tendência de exagerar os próprios talentos e acreditar que estão “acima da média” na cota de características e habilidades positivas.

Em sua autoimagem idealizada, as pessoas tendem a ignorar ou minimizar a possibilidade de ocorrências aleatórias ou incontroláveis que possam impedir o avanço em direção a uma meta.

Existe uma grande diferença entre coragem e excesso de confiança:

•  “Coragem” é uma disposição para correr riscos uma vez que se conhecem as probabilidades;

• “Excesso de confiança” significa estar correndo riscos desnecessários porque não se conhecem as probabilidades.

Portanto, é preciso cercear o otimismo exagerado de alguma maneira porque os riscos desse procedimento costumam ser muito altos e o preço a pagar pode ser tornar insuportável!

Pin It on Pinterest

Share This